terça-feira, 29 de janeiro de 2013

modigliani

Procurando o filme Pollock no Netflix (não tem), achei o Modigliani, de 2001, com Andy Garcia interpretando o pintor italiano.

Chorando de emoção internamente, assisti às suas pouco mais de duas horas de duração e nhé. Sei lá, tinha tanta coisa pra contar e o enredo é mais puxado pra fantasia do roteirista/ diretor/ produtor/ sei-lá-quem. Mas filmes-biografias são geralmente assim: inspiram-se livremente em algum bio-livro e amplamente exploram e aumentam mitos.

Amedeo Modigliani
Andy Garcia como Modigliani







Caso raro: foi a única vez que vi um filme em que o retratado é mais bonito que o ator que o interpreta. Modi era gato, me lembra Marcello Mastroianni nos anos 60.

De onde saiu tamanha pança?
Picasso e Olga, sua mulher, em 1919















E o Pablo Picasso do filme está mais para Diego Rivera.


Jeanne Hébuterne
(não consigo olhar diretamente pros olhos dela o.O)

O filme concentra-se na relação de Jeanne e Modigliani, mas pelas coisas que li, me pareceu tão superficial... Ele era bem putão e ela comeu o pão que o diabo amassou por ser loucamente apaixonada por alguém tão intempestivo. Esperava ver mais sofrimento...

























Foca bastante, também, na rivalidade entre Modigliani e Picasso e romantiza a relação dos pintores também. Por exemplo, Picasso não levou Modi para conhecer o já velho pintor Renoir. Esse encontro aconteceu por intermédio de outro (e menos conhecido) pintor, Allan Osterlind, que era vizinho de Renoir. Mas de fato existia admiração entre eles:

Modigliani, Picasso e Salmon

"Apesar de suas inteligências artísticas se apreciarem mutuamente, sem no entanto admiti-lo de modo aberto, haverá sempre entre eles uma certa rivalidade, recheada de tempos em tempos com pequenas frases pérfidas." 
PARISOT, Christian: Modigliani,  Editora L&PM Pocket, p. 61








Agora, se no leito de morte, a última palavra de Picasso foi "Modigliani", não consegui achar em lugar nenhum e me soa um pouco *Disney* demais.

De qualquer jeito, não é um filme ruim, mas eu queria mais. Vale a pena ver porque é quase único e pra quem se interessar, dá pra ir além das duas horas de fita.

Mais: 

#Existe um filme francês de 1958, chamado Les Amants de Montparnasse (ou Montparnasse 19) que também mostra mais o último ano de vida de Amedeo Modigliani e sua relação com Jeanne Hébuterne [não vi ainda]

#Modigliani era conhecido por fazer retratos, porém, há apenas um único autorretrato conhecido seu. E ele pertence ao Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP. \0/ Além disso, o MASP tem várias obras do artista no seu acervo.
Não é emocionante?

Autorretrato com Paleta, 1919-1920
#O tal do Christian Parisot, que escreveu a biografia citada acima e foi curador da exposição legal-mas-nem-tanto, 'Modigliani, Imagens de Uma vida', que ocorreu ano passado no MASP, foi preso em dezembro por expor/ vender obras que não eram de Modi. :o

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá, parabéns pelos comentários. só para constar acerca de modigliani, há, também, um especial da RAI italiana sobre ele, acima da media. E completo e menos fantasioso. Também e bom saber que o auto-retrato esta exposto no novo MAC!, esse quadro não era exposto no Brasil fazia anos. Abraços, Jacques, um entusiasta do pintor italiano.
Há,sim, também há um documentário francês chamado - os heróis quentes de montparnasse....e . o filme de 1958 foi lançado em Bluray......

Emanuela Barisan disse...

Oi anônimo!

Obrigada pelas dicas de documentários, vou anotar e procurar.

Quanto ao autorretrato, eu não sei se está exposto, não. Quando eu fui ao MAC do Ibira, em junho do ano passado, não estava. Só comentei que a obra pertence ao MAC =(

Mas quem sabe decidem tirar logo esse Modigliani da meia, né?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...